Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

António Boronha

António Boronha

24
Out12

estórias da bola quarenta e sete

António Boronha

a vinda de vercauteren para o 'sporting', como treinador, recordou-me uma 'estória' que se passou comigo, era ele um jogador com 33 anos.

julgo que na época 90/91 o 'farense', segundo o paco fortes, precisava de alguém com o seu perfil.

por intermédio de amigos comuns cheguei à fala com vercauteren e combinámos um encontro longe de faro para podermos acertar a sua vinda para o clube, sem criar falsas expectativas aos adeptos.

almoçámos em 'setúbal', no 'rio azul', e ele ficou encantado com a proposta tendo aceite, sem grandes problemas, os nossos termos.

o pior chegou dois dias depois. telefonou-me a lamentar não poder vir porque a mulher achava que a educação dos filhos tinha que continuar no seu país.

tive pena. muita pena.

 

não achando que seja ele o treinador que o 'sporting' precisa no momento desejo-lhe a maior sorte do mundo nestas suas funções em 'portugal'.

09
Set12

valente pulha, nada polido, este vasco

António Boronha

vasco pulido valente escreve hoje a sua 'opinião', no 'público', sobre a recente polémica que envolve rui ramos.

não vou falar sobre o que vpv traz ao assunto no início ou no meio da defesa que faz de rr, até porque nada de relevante diz.

quedo-me assim pela última frase que cito:
"o 'fascismo' passou por portugal quase sem deixar vestígio."

vpv, portanto, nunca reparou no tarrafal, nos aljubes,

peniches e caxias... 
na pide e nos assassinatos de dias coelho e de humberto delgado, entre tantos outros...
nos milhares de horas de brutalidade: a agressão física à privação do sono passando pela 'estátua'...
dos milhares de presos políticos - separando o marido da mulher, o pai do filho - atirados para as masmorras dispobilizadas por salazar à pide sem culpa formada e julgados por tribunais plenários onde os 'acusados' não dispunham do menor direito à defesa...
da irmandade fascista com franco, reinante durante décadas na península ibérica
a guerra colonial com o seu desfile de jovens portugueses, muitos mortos outros, hoje, estropiados...

enfim, mais um a dizer que o fascismo nunca existiu. 'quase não deixou vestígio'...

valente pulha, nada polido, este vasco.
01
Jun12

estórias da bola quarenta e seis

António Boronha

excepcionalmente, porque o tema é de actualidade, vou 'reabrir' este blogue com mais uma 'estória (verídica) da bola'.

 

vítor baía e luís filipe scolari têm sido tema de actualidade esta semana devido à decisão do segundo ter excluído o primeiro, segundo o aqui segundo a mando de pinto da costa, dos trabalhos da selecção nacional de futebol no período 2003-2008.

a verdadeira, definitiva e última versão sobre a questão é esta:

 

a contratação de scolari foi feita em madrid por gilberto madail acolitado pelo, na altura 'boss' europeu da 'nike', hoje todo-poderoso presidente do 'barcelona', sandro rossel e..., imaginem!!!, por jorge nuno pinto da costa!!!...

foi este último que na época se queria ver livre de vítor baía, por conflitos com josé mourinho, que pediu então a 'felipão' que este não convocasse o guarda-redes azul-e-branco.

 

mudam-se os tempos, mudam-se as vontades..., lá diz o bom e sabedor povo português.

passados uns meses já, no 'fc do porto', nuno espírito santo não dava suficientes garantias a josé mourinho pelo que havia de recuperar rapidamente baía.

foi então que surgiu a primeira convocatória de scolari...sem, obviamente, vítor baía.

foi nessa altura que à boa maneira portista, quando a convocatória foi tornada pública, os altos comandos portistas se indignaram com o seleccionador brasileiro por este, vejam só!, não ter convocado o melhor guarda-redes europeu!!!...

a partir desse momento, escusado será dizer, luís filipe scolari meteu uma cruz no nome de pinto da costa e, por tabela, do 'fc do porto'.

parafraseando um famoso diálogo do filme 'casablanca', foi o início de uma feia e conhecida inimizade...

10
Dez11

mais do mesmo?...

António Boronha

estive tentado a titular este 'post' sem ter colocado a interrogação porque, para mim, vem aí mais do mesmo na sequência do acto eleitoral de hoje para o preenchimento dos orgãos da 'federação portuguesa de futebol'.

oxalá me engane e que esta gente que vai entrar me (nos) surpreenda. pelo lado bom!, é claro.

 

[talvez os próximos tempos sejam capazes de iluminar a incredulidade de muitos no que concerne ao apoio dado pelos lisboetas godinho e vieira ao portista gomes...]

08
Dez11

calendário contra-revolucionário português

António Boronha

"O calendário revolucionário francês ou calendário republicano foi criado pela Convenção Internacional em 1792, durante a Revolução Francesa (1789) para simbolizar a quebra com a ordem antiga e o início de uma nova era na história da humanidade. Este calendário tinha características marcadamente anticlericais e passou a basear-se nos fenômenos da natureza."

(da 'wikipedia')

 

atendendo ao facto do governo de passos coelho estar à beira de esgotar as suas possibilidades de sacar mais dinheiro aos depauperados portugueses - e assim poder continuar a satisfazer os interesses insaciáveis da 'troika' aliada à parelha merkl/sarkozy - lembrei-me de uma solução que, de uma assentada, mataria dois coelhos (salvo seja!):

por um lado elevaria, substancialmente, a produtividade da nossa economia;

e

não menos importante, resolveria em simultâneo a preocupante questão da iminente falência do nossos sistema de 'segurança social';

seria assim, e deixo-a de borla:

(1) os doze meses do ano passariam a ter, todos, 31 dias numa primeira fase;

a seguir, se o déficit continuasse a crescer fora de qualquer controlo e como medida de afinação da anterior:

(2) o governo da maioria acrescentaria dois meses ao calendário anual, os quais poderiam ser denominados de 'cavaqueiro' e 'coelheiro', respectivamente;

dentro de uma década passaríamos de um país habitado por velhos miseráveis e jovens desempregados a um florescente cantinho só frequentado por gente de idade aceitável e carteira próspera...

06
Dez11

o homem que mijou à cão

António Boronha

eis-nos confrontados com o superlativo da notícia.

deixou há muito de ser este: o cão mordeu o homem.

os pós-modernos vieram dizer-nos que novidade, novidade, digna de registo, seria ter existido um homem capaz de morder um cão.

hoje, sobre o mijo, o homem e o cão, a notícia é sem dúvida o comentário do treinador portista, vítor pereira, acerca do internacional português danny: 'o homem que mijou à cão'!.

espero, sinceramente, que vítor pereira não entre em campo, esta noite, todo mijado.

e - para bem do espectáculo - que danny não jogue 'de gatas'.